Semadema entrevista o Pr Francisco de Assis secretário executivo da semadema

INFORMATIVO SEMADEMA – Pastor Francisco de Assis quais eram suas expectativas antes de assumir seu primeiro mandato à frente da Semadema?
FRANCISCO DE ASSIS – Bem, eu ascendi à Secretaria de Missões da Ceadema atendendo a um chamado de Deus. O Senhor me deu uma visão para o trabalho missionário e assim eu entrei para o exercício desse mandato muito definido sobre o que iria fazer, pois eu já tinha no coração toda uma visão que Deus havia compartilhado comigo. Eu tinha, então, uma expectativa de que iríamos de fato fazer um trabalho relevante, cumprindo a visão de Deus que Ele pôs no meu coração. Eu entendo que o obreiro é apenas o materializador de uma visão divina. Então por bondade de Deus nós começamos o trabalho nessa expectativa e Deus tem, por sua bondade, nos conduzido no exercício desse mandato e no cumprimento dessa visão para a qual Ele nos chamou.

IS – Pr. Francisco quais eram os principais projetos que compunham o seu plano de ação à frente da Semadema quando da sua primeira candidatura?
FRANCISCO DE ASSIS – Antes de assumir a Semadema eu já tinha em mente a visão que trabalharíamos. Eu assumi me propondo trabalhar a questão da mobilização missionária em nosso estado. Além disso, nós nos propusemos a desenvolver ações voltadas para o estado do Maranhão, como o Projeto Pró-Sertão, projeto esse que a gente vem trabalhando ao longo desses quatro anos. A Campanha 5% em todo o estado, através da qual identificaríamos os locais com os menores índices de evangélicos e intensificaríamos nesses locais os trabalhos de cunho missionário. Atualmente esta campanha está sendo trabalhada nos municípios de Buriti de Inácia Vaz, Lagoa do Mato, Duque Bacelar e Sucupira do Riachão. Nessas cidades temos trabalhado em parceria com algumas secretarias de Missões apoiando o trabalho da igreja local ou assumindo áreas missionárias em acordo com os pastores locais. Estamos iniciando o projeto África Maranhense, projeto esse que está sendo desenvolvido pela Semadema em parceria com algumas igrejas, como a Assembleia de Deus em São Luís, na pessoa do Pr. Jackson Douglas, Secretário de Missões daquela igreja e que visa desenvolver o trabalho evangelístico entre as comunidades quilombolas do nosso estado. Temos apoiado também o trabalho missionário em muitas igrejas locais atendendo a solicitações missionárias dos pastores e apoiando eventos de cunho missionário.

IS – Além desses há outros projetos que o senhor procurou desenvolver à frente da Semadema?
FRANCISCO DE ASSIS – Somos também idealizadores e promotores da Mobilização Missionária do Maranhão, trabalho este que tem nos permitido a cada ano arrecadar recursos imprescindíveis para os investimentos missionários. No contexto transcultural nós temos estado presentes juntos com nossas lideranças que coordenam o trabalho missionário entre os povos indígenas no estado do Maranhão apoiando ao trabalho por elas realizado e desenvolvendo algumas ações em aldeias indígenas. Temos também atuado no continente africano, apoiando o trabalho desenvolvido pelos missionários que ali atuam, direcionando as coisas, bem como apoiando financeiramente aquele trabalho dentro das possibilidades da Semadema. No que se refere à missão no Peru, pela graça de Deus temos obtido ali avanços muito grandes. Temos estado junto com o Pastor Sales e ele tem desenvolvido ali um grande trabalho.

IS – Pr. Francisco, o Senhor está pleiteando nesta eleição de 2013 mais um mandato à frente da Semadema. O que o motivou a pleitear mais um mandato mesmo diante de todos os desafios que tem enfrentado?
FRANCISCO DE ASSIS – O nosso projeto está sedo desenvolvido e as nossas metas estão sendo alcançadas. Acreditamos ainda ser necessária a nossa continuidade à frente da Semadema por algum tempo, dentro da vontade e da direção de Deus. Cremos ser plano de Deus nossa continuidade para o desenvolvimento desses projetos que estão em andamento. Deus certamente está trabalhando no sentido de preparar a nossa sucessão. Inclusive uma das minhas orações a Deus é que Ele me dê graça para que eu tenha uma boa gestão e consiga suceder essa gestão para que o trabalho marche sem nenhum impedimento.

IS – Qual é a sua expectativa e seus objetivos caso se confirme esse novo mandato?
FRANCISCO DE ASSIS – Há duas coisas da minha visão inicial que não consegui trabalhar ainda, ou pelo menos temos trabalhado de forma tímida. São elas: o trabalho de visita aos campos missionários e aos próprios missionários, que reconheço ser um trabalho de muita importância e a implantação de um sistema de comunicação estadual. Nós temos um projeto de implantação de um sistema de comunicação em nível de estado, quer seja um programa de rádio, um programa de televisão, ou, como temos pensado com mais freqüência ultimamente, uma TV online. Nossa intenção é que tal sistema venha nos possibilitar divulgar melhor todo o trabalho da Semadema, trabalhar melhor a consciência missionária, a evangelização e a integração da igreja em todo o estado do maranhão.

IS – Pr. Francisco, qual é, na sua opinião, a importância das parcerias para o sucesso do trabalho missionário realizado pela AD no Maranhão?
FRANCISCO DE ASSIS – Pr. Mateus eu diria que as parcerias tem sido um dos pontos altos da nossa gestão. Deus tem nos possibilitado trabalhar junto com as igrejas no maranhão e essa era uma das minhas principais propostas, trabalhar com as igrejas, coordenando o fazer missionário nesse estado apoiando as igrejas que fazem missões, em vez de ser um concorrente destas. Pela graça de Deus nós temos hoje igrejas que desenvolvem grandes trabalhos missionários no contexto nacional e internacional e nós temos tido a alegria de estar junto com essas igrejas e suas lideranças apoiando-as no que podemos. Eu diria que isso tem sido de fundamental importância para o crescimento do trabalho missionário realizado pela AD no Maranhão.

IS – Pr. Francisco, nós temos observado que, se por um lado nós temos igrejas realizando grandes trabalhos missionários, por outro temos aqueles que ainda não acordaram para a importância do fazer missionário. Num possível novo mandato qual será a sua estratégia para conquistar tais líderes para a luta do fazer missionário?
FRANCISCO DE ASSIS – George Peters chegou a dizer que “O mundo está muito mais preparado para receber o Evangelho do que os cristãos para o propagar.”Eu ministrei no nosso último Congresso de Missões o tema “como promover a obra missionária em meio à aridezes internas, tema esse que enfocava esse grande desafio interno que temos. De fato um dos grandes desafios que temos é conseguir desenvolver a consciência missionária em algumas das nossas lideranças. Se for a vontade de Deus que permaneçamos à frente da Semadema, continuaremos trabalhando para o desenvolvimento de uma maior conscientização missionária das nossas lideranças. Nesse sentido trabalharemos para que tenhamos uma Escola Bíblica de Obreiros no Maranhão com o tema Missões.

IS – Pr. Francisco de Assis, qual foi, na sua opinião, o momento mais marcante desses quatro anos à frente da Semadema ?
FRANCISCO DE ASSIS – É muito difícil identificar um momento marcante, mas certamente um momento que muito me foi a experiência que vivi esse ano, quando em pleno exercício da minha função fui terrivelmente acidentado, experiência esta a princípio muito amarga, mas tem redundado em benefícios para a minha vida, para o meu ministério e para a glória de Deus. As muitas manifestações de apoio que recebi da parte das nossas lideranças muito me confortaram, mesmo em meio à dor e aos riscos que corri.

IS – Deixe agora uma palavra final para o Informativo Semadema e seus leitores.
Francisco de Assis – Eu cheguei ao final deste mandato sentindo um peso muito grande e em dados momentos sentindo até mesmo uma desmotivação em razão de ter sido sempre confrontado pelos grandes desafios e pelas limitações que temos como pessoa. Isso tem sido um grande desafio pra mim, mas tenho me doado ao máximo para alcançar o máximo possível, pois entendo que só passamos uma vez por esta vida e precisamos fazer o máximo que pudermos para também avançarmos o máximo que pudermos nas conquistas pelo Reino de Deus.  A minha palavra final então é que os companheiros de lide entendam que uma obra dessa envergadura não é obra de uma pessoa, é obra da Igreja de Cristo e que assim nós somemos forças no conquistar das almas para o Reino de Deus e com certeza, no dia de Cristo nós seremos galardoados pelo nosso trabalho e poderemos cantar a última estrofe do hino 149 da nossa harpa Cristã.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *