Relatório da Missão Peru

Se anuncio o evangelho, não tenho de que me gloriar, pois sobre mim pesa essa obrigação; porque ai de mim se não pregar o evangelho!

Se anuncio o evangelho, não tenho de que me gloriar, pois sobre mim pesa essa obrigação; porque ai de mim se não pregar o evangelho!
Em novembro passado completamos 7 anos de labor missionário em terras peruanas. Continuamos dentro dos planos de Deus e convictos de que temos a obrigação de pregar o evangelho e com alegria seguimos desenvolvendo essa tarefa. A minha recompensa tem sido a satisfação de poder fazer o que Deus nos incumbiu: alcançar o maior número de pessoas para o reino de Deus.

Aconteceu
Na nossa ultima vinda ao Brasil, novembro do ano passado, Deus nos abençoou ricamente, pois nesse período tivemos alguns contatos importantes com alguns dos nossos pastores convencionais. Entre eles tive o prazer de ter uma conversa informal com o vice-presidente da convenção, o pastor Francisco Raposo. Na oportunidade conversamos sobre a obra de Deus no Peru e sobre os projetos que Deus tem colocado em nosso coração para aquela nação. Depois de conversarmos, voltei ao Peru muito contente e com a convicção de que algo iria acontecer, pois as últimas palavras que ouvi do pastor Raposo foram: “vou colocar o teu pedido no coração”.
No mês de outubro de 2013, recebemos a família de missionários que a AD em Bacabal, na pessoa de seu mui digno Presidente, o Pastor Francisco Raposo, enviou ao Peru. Até o mês de janeiro essa família de missionários (pastor Elivan, sua esposa Danielle e filho) estarão na cidade de Ica, colaborando com a obra e também desenvolvendo o processo de aculturação.  Depois irão para a cidade de Chiclayo, no Estado de Lambayeque, onde estarão implantando um novo trabalho.
Também tivemos contatos com o Pastor Rayfran Batista, que nos fez a promessa de enviar um casal de missionários que ainda estão no Brasil, mas já estão preparados para viajar. Estou muito animado com os mesmos e o meu desejo para com este casal é que eles nos ajudem na organização da secretaria de missões peruana.

A secretaria nacional de missões
No mês de maio de 2013 recebemos o convite para dirigirmos a secretaria nacional de missões. Na verdade no mês de janeiro de 2013, o pastor Mário Cesar Cari Nina, atual presidente da convenção, perguntou-me em que área desejaria trabalhar junto à convenção. Já trabalhávamos com a comissão de ingresso, mas Deus fomentava no meu coração o desejo de trabalhar com a Secretaria de missões. Ao assumirmos a Secretaria Nacional, ganhamos a liberdade de poder sonhar, lutar e incentivar outros a trabalharmos pela evangelização dentro do contexto nacional. Temos incentivado e lutado para levantarmos obreiros nacionais no afã de que aquela igreja caminhe sozinha.
Trabalhar com a Secretaria de Missões não significa deixar de dirigir a obra ou deixar de seguir abrindo novas obras. Na verdade isso nos dá o privilégio de podermos ampliar a visão da igreja peruana, com quem estamos trabalhando.

Ampliando a visão
Ao Assumirmos a Secretaria de Missões peruana no mês de maio de 2013, apresentamos um projeto de expansão da igreja no território peruano. O projeto apresentado consiste em pontuarmos todos os Estados num período de dois anos.  No mês de janeiro estávamos presentes em 10 dos 24 estados. Hoje estamos pontuando 14 estados e o nosso alvo é que no mês de maio de 2015 já tenhamos pontuado todos os estados.

Inicialmente abriremos trabalhos nas capitais com a ajuda das igrejas já existentes, que estarão também fazendo missões e também com a ajuda de missionários vindos de outros estados do Brasil, como é o caso do Maranhão.

Conquistas e Mudanças
Deus nos tem dado grandes vitórias, entre elas a compra parcelada de um prédio de 3 (três)  pisos no centro da cidade de Huaura, onde funciona o templo central. Passamos três anos nesta província, no mês de outubro entregamos a direção da obra para o obreiro do campo do Cohatrac/São Luís-MA, missionário Jadson e família.  Atualmente estamos no estado Ica.  A nossa mudança aconteceu no mês de outubro. Mudei com a família, mas ainda não foi possível fazer o translado de minhas coisas, que continuam na casa pastoral de Huaura, pois para fazer a mudança estão cobrando dois mil soles e, além disso, o aluguel sempre é feito com pagamento adiantado de dois meses.

Outra vez no Brasil?
Sim, outra vez! Às vezes tenho receio que digam que venho muito ao Brasil, mas quando vejo as vantagens para a obra de Deus, isso me dá ânimo para regressar e correr atrás do que sempre venho buscar: missionários, pois pra mim eles valem mais que ofertas ou qualquer outra coisa. A cada vez que uma igreja local envia um missionário esta glorifica a Deus, cumprindo o ide do mestre e fazendo com que novas obras sejam abertas e vidas reconheçam o senhorio de Cristo.
Tem sido recompensador para o reino de Deus nossas viagens: Em 7 anos, fizemos 5 viagens ao Brasil.  Nestas viagens tivemos contatos com pastores e igrejas que se sentiram motivados por Deus e fizeram envio de missionários.
Outra vez estou aqui, com o mesmo objetivo. Não sei como, mas tenho fé de que estarei conseguindo igrejas, dentro e fora do estado do maranhão, que se façam parceiros da obra missionária no Peru. O nosso objetivo desta vez é levar 10 missionários para abrirmos trabalhos em estados diferentes e conseguirmos duas igrejas que desejem adotar dois missionários peruanos.
Que Dios les bendiga

Pr. Sales

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *